05/04/2023 às 10h35min - Atualizada em 05/04/2023 às 10h35min

Novo Ensino Médio: presidente do Sindicato dos Professores avalia que proposta ainda causa “estranhamento” a docentes e alunos

Redação
Sala de aula na rede pública de Maceió / Foto: Ascom Semed

   
O Novo Ensino Médio passou a ser realidade na maioria das escolas de Alagoas a partir deste ano. Apesar de trazer propostas como a liberdade dos alunos escolherem as matérias que irão cursar (os chamados “itinerários formativos”), professores e estudantes ainda não se adaptaram completamente ao novo formato.

Eduardo Vasconcelos, presidente do Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro/AL), disse que há um “certo estranhamento” quando ao novo ensino médio, porque representa uma grande mudança de paradigma para a sala de aula.

“Para nós, professores, o que mais pesa é justamente essa falta de formação. A gente vem de uma formação dentro da universidade completamente diferente dessa proposta”, destacou, apesar de considerar a ideia “aparentemente boa”.

Ele avalia que é difícil colocar o novo formato em prática, tanto na rede pública quanto na rede privada, principalmente pela falta de informação de muitas instituições de como esses projetos serão colocados, de forma efetiva, e como o estudante vai receber essa mudança.

 

Mudança “de baixo para cima”
 

Eduardo opina que alterar o método de ensino no fim da ‘vida escolar’ não é uma solução simples: “É tudo muito novo para o estudante, o professor, as escolas, tanto da rede pública como da rede privada”.

Para ele, a mudança deveria ser “de baixo para cima”, ou seja, começar na educação básica e infantil e, após isso, chegar ao Ensino Médio. 

“A educação deveria mudar, principalmente a valorização dos professores, da educação básica e infantil, principalmente como acontece nos países desenvolvidos. A gente geralmente quer mudar e esquece que, na verdade, a base continua a mesma e isso vai atingir diretamente quando o estudante estiver terminando o ensino médio”, afirmou.

O docente e presidente do Sinpro defende que uma das maiores prioridades deve ser o reconhecimento dos professores da educação infantil, que, “infelizmente, são os mais desvalorizados”.

 

Novo Ensino Médio em Alagoas
 

Em 2023, a comunidade escolar da rede estadual de ensino começou a viver a experiência da segunda fase de implantação do Novo Ensino Médio, que não apenas atualizou o referencial curricular de Alagoas, mas trouxe também maior autonomia para os alunos no momento de escolha das áreas de conhecimento em que desejam se aprofundar.

Alagoas optou por implantar o método de forma gradativa, alcançando, assim, as terceiras séries do ensino médio já no próximo ano. Superintendente de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado da Edcação (Seduc), Ricardo Lisboa explica que o objetivo é alinhar o ensino médio à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), promovendo abordagens pedagógicas mais práticas e inclusivas para, com isso, garantir o desenvolvimento integral do aluno.

“Nós começamos, no ano passado, com as disciplinas eletivas e os projetos de vida nas primeiras séries do ensino médio. Agora, o nosso trabalho vai permitir que os alunos se aprofundem nas áreas do conhecimento ou na formação técnica e profissional. A finalidade é transformar o estudante em um sujeito ativo no processo de ensino e aprendizagem, fazendo com que ele seja protagonista de sua própria história”, destaca Lisboa, acrescentando que o novo currículo do ensino médio foi dividido em duas partes: formação geral básica, com 1.800 horas; e os chamados itinerários formativos, perfazendo outras 1.200 horas voltadas, sobretudo, à preparação para o mercado de trabalho.

A proposta, portanto, busca desenvolver o autoconhecimento e, consequentemente, o potencial de cada aluno, auxiliando-o na escolha da carreira que pretende trilhar. Para tal, o Governo de Alagoas vem investindo na formação continuada de professores, gestores escolares, coordenadores pedagógicos e articuladores de ensino.

A rede estadual, inclusive, já desenvolve ações e programas capazes de transformar a vida de cada estudante, como o Professor Mentor, o Meu Projeto de Vida e o Vem que Dá Tempo, que contribuirão para que o novo ensino médio seja definitivamente implantado no ano que vem.

Para o secretário de Estado da Educação, Alagoas caminha a passos largos no sentido de ofertar cada vez mais oportunidades para todos. “Iniciamos mais um ano letivo na certeza de que a rede estadual está pronta para acolher, da melhor forma, toda a comunidade escolar, valorizando o servidor e permitindo que nossos alunos possam estudar e se capacitar”, afirma Marcius Beltrão.

*Com informações do Cada Minuto


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://vitalnews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp