16/01/2023 às 16h10min - Atualizada em 16/01/2023 às 16h10min

Torres de transmissão de energia são derrubadas em Rondônia e no Paraná; Aneel fala em “sabotagem” e “vandalismo”

Ministério de Minas e Energia e Operador Nacional do Sistema colocaram em prática medidas emergenciais para garantir fornecimento de energia

Luís Filipe Pereira
infomoney
Reprodução

Após a invasão à sede dos Três Poderes em Brasília, a infraestrutura de energia elétrica do país também foi alvo de ataques e vandalismo nos últimos dias. Pelo menos seis torres de transmissão de energia foram danificadas em municípios de Rondônia e do Paraná.

As ocorrências, que afetaram ativos da Eletrobras (ELET6) e do grupo Evoltz, constam de dois boletins elaborados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os documentos são parte do trabalho do Gabinete de Acompanhamento da Situação do Sistema Elétrico Brasileiro, instalado pelo Ministério de Minas e Energia em meio à percepção de ataques ao sistema.

Uma torre de transmissão, identificada com o número 114, foi derrubada no município de Medianeira (PR) e outras três estruturas (torres 112, 113 e 115) foram danificadas.

O documento da agência ressalta que não foram observadas condições climáticas que pudessem ter causado algum tipo de dano à linha de transmissão e diz que “há indícios de vandalismo”. A ocorrência foi verificada às 0h13 (horário de Brasília) de segunda-feira (9).

Em Rondônia, nos municípios de Porto Velho e Ariquemes, a Aneel relata que duas torres foram derrubadas, com “indícios de sabotagem”, segundo o boletim.

Apesar dos transtornos provocados pelos danos às linhas de transmissão, não houve interrupção na carga ou distribuição de energia elétrica nessas regiões. As ocorrências, neste caso, ocorreram entre a noite de domingo (8) e a madrugada de segunda-feira.

“A Eletronorte informa que após a confirmação da queda da torre 219 e torção das adjacentes (218 e 220) da linha LT 230kV Samuel-Ariquemes circuito 3, seu plano de contingência foi implementado a fim de restabelecer a referida linha de transmissão”, diz um dos boletins.

“As ações realizadas até o momento foram: identificação das avarias sofridas pelas torres, mobilização das equipes, equipamentos e ferramental, limpeza das áreas das torres, construção de acessos para os equipamentos e retirada de parte dos acessórios e recuperação do pino central da torre que está caída no solo”, prossegue.

Uma fonte ligada à Eletrobras, uma das companhias afetadas pelas ocorrências, confirmou à agência de notícias Reuters atos de vandalismo em linhas de transmissão, mas disse que não é possível saber se o caso seria um “atentado” ou se tem relação com os atos golpistas observados em Brasília no domingo (8).

No caso paranaense, foi derrubada uma torre do Bipolo 2, que transmite energia gerada pela hidrelétrica Itaipu para o Sistema Interligado Nacional. Uma fonte disse que equipes estão sendo deslocadas para o local no Paraná para checar o ocorrido e se houve uso de um trator na derrubada da torre.

No caso da Evoltz, a empresa relatou à Aneel “indícios de sabotagem” na queda de sua torre, já que houve corte de dois estais (cabos de aço).

Em Rondônia, houve no domingo o desligamento de uma linha de transmissão da Eletronorte da interligação Acre-Rondônia ao Sistema Interligado Nacional.

“Imediatamente, a equipe de manutenção foi acionada e a inspeção realizada detectou que o desligamento foi provocado pela queda de uma torre dessa linha, com indícios de sabotagem. A equipe da Eletronorte já está mobilizada para substituição da torre, com previsão de conclusão dos serviços ao longo do próximo dia 11, quarta-feira”, disse a Eletronorte, em nota divulgada na véspera.

Para garantir a segurança no fornecimento de energia elétrica nos principais centros urbanos do país, relatório da Aneel indica que Ministério de Minas e Energia e Operador Nacional do Sistema (ONS) colocaram em prática medidas emergenciais, em virtude dos ataques.

Entre elas, o ONS informou que passou a realizar o envio de energia entre as regiões do país acima dos limites considerados normais.

Distribuidoras de energia foram orientadas a reforçar a segurança de suas instalações físicas e também quanto à proteção de dados virtuais. Para informar ocorrência de vandalismo ou ato de sabotagem, as empresas receberam a orientação de manter contato com os órgãos de segurança pública dos estados e informar qualquer ocorrência, além da suspensão do fornecimento de energia de acampamentos de bolsonaristas em todo o país.

Procurado pelo InfoMoney, o ONS disse que “está adotando medidas tradicionalmente implementadas em eventos especiais como, por exemplo, Eleições e Copa do Mundo e Olimpíadas”. Sobre as quedas de torres, o órgão informou que as causas estão sendo investigadas, mas lembrou que as condições climáticas desta época do ano tornam esse tipo de evento “normal”.

“Ao longo do trabalho de monitoramento, o Operador foi comunicado de quedas de torres, mas nesta época do ano de condições climáticas severas, o incidente pode ser considerado normal. Neste momento, as causas estão sendo investigadas pelos respectivos agentes”, diz em nota.

“O ONS segue acompanhando a operação e reitera que não houve impactos no suprimento de energia para a sociedade, permanecendo, na forma habitual, verificando todas as ocorrências”, conclui.

(com Reuters)


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://vitalnews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp