14/03/2024 às 07h54min - Atualizada em 14/03/2024 às 07h54min

​No calor e sem professor: alunos voltam ao ano letivo, mas não têm aulas nas escolas de Maceió

"Prefeito JHC secundariza a educação", denuncia professor.

Redação
Por Agência de Notícias
Nas escolas da rede municipal de ensino de Maceió, a falta de estrutura física é gritante. Prédios com tetos desabando, instalações inadequadas e a ausência de equipamentos de ventilação ou refrigeração são apenas alguns dos problemas enfrentados pelos alunos. Em muitos casos, a situação é tão crítica que os estudantes são obrigados a retornar para casa mais cedo, simplesmente porque não há aulas.

Na Escola Municipal Zumbi dos Palmares, localizada no Clima Bom, a situação é alarmante. Segundo relatos do professor Luiz Carlos, que leciona na rede municipal há duas décadas, a situação de abandono se agravou na gestão atual. Na entrada da escola, um quadro avisa à comunidade sobre a falta de professores para cinco turmas distintas, afetando pelo menos 175 alunos do 3º e 4º ano desde o início do ano letivo.

Na porta da escola, um quadro avisa a comunidade sobre a falta de professores para cinco turmas diferentes da escola. Foto:Assessoria

 

"A escola não dispõe de professores no turno noturno e vespertino, e um dos principais motivos para a ausência de aulas à tarde é o calor intenso", explicou Luís Carlos.


Além disso, as salas de aula são mantidas com janelas abertas devido à falta de ventiladores, enquanto os aparelhos de ar-condicionado existentes não podem ser utilizados devido à incompatibilidade com a voltagem da rede elétrica. Outra preocupação é a paralisação das obras da quadra de esportes, que foram interrompidas devido à falta de repasse financeiro da Secretaria Municipal de Educação (Semed) para a empresa responsável.

Professor mostra os desafios: ar-condicionado parado devido à incompatibilidade com a voltagem da rede elétrica. Foto: Assessoria

 

"O prefeito JHC negligencia a educação. Ele prioriza investimentos em eventos como escolas de samba e shows milionários, em vez de destinar recursos para aprimorar a qualidade do ensino nas escolas municipais, que atendem principalmente filhos de trabalhadores pobres", acrescentou o professor.


A Semed respondeu afirmando que as "carências de pessoal em toda a rede serão sanadas com a contratação dos aprovados no PSS, que já começaram a ser convocados pela Semed".



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://vitalnews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp