19/02/2024 às 23h11min - Atualizada em 19/02/2024 às 23h11min

Governo de Alagoas inicia levantamento para identificar fontes de energia limpa no estado

Consultoria vai avaliar cenários que possam atrair empresas; etanol e biomassa da cana podem ser alternativas

Redação
Por Marcus Toledo / Agência Alagoas
Governador Paulo Dantas participou por videochamada. - Foto: Pei Fon / Agência Alagoas
O Governo do Estado realizou, nesta segunda-feira (19), na sede da Secretaria da Fazenda, uma reunião com a Essenz Soluções, empresa que vai fazer uma consultoria sobre a implementação de iniciativas capazes de atrair investimentos em tecnologias renováveis para Alagoas. Coordenada pelas secretárias Renata dos Santos (Fazenda) e Alice Beltrão (Ciência e Tecnologia), a reunião contou com a presença do governador Paulo Dantas e do secretário de Estado de Governo, Vitor Pereira, de forma remota.



 

“Essa é a primeira reunião na semana com o consultor, para que a gente saiba, de fato, todo o potencial ligado à energia renovável, e, com esse estudo, ir ao mercado e fazer prospecção de novos investidores”, afirmou Renata dos Santos.


De acordo com Guilherme Dantas, consultor da Essenz Soluções, Alagoas já tem potencial para produção de energia renovável, a exemplo da biomassa e do etanol, graças à cultura da cana-de açúcar. No entanto, o estado pode ampliar a oferta, com a energia eólica, solar e do chamado hidrogênio verde.

O papel da Essenz é ouvir vários setores da economia alagoana e do meio acadêmico para produzir um relatório apontando os melhores caminhos para o estado. Entre as empresas e entidades que serão visitadas estão a Origem – que explora gás natural –, Equatorial, Algás, Sindicato da Indústria do Açúcar, Federação das Indústrias de Alagoas e Ufal.




O governador Paulo Dantas ressaltou a importância da consultoria para Alagoas, pois, segundo ele, é fundamental que o Estado tenha um diagnóstico sobre a oferta de energia.

 

“É importante para nós termos todas as condições de oferecer energia renovável, de maneira que a gente tenha condição de atrair dinheiro, atrair emprego, gerar renda e oportunidades. Temos todo esse cenário, e vamos poder, de maneira eficiente, passar para os investidores quais são as nossas vocações, os nossos atrativos, numa área fundamental para o desenvolvimento do nosso estado”, destacou.


Já o secretário Vitor Pereira reforçou que os investimentos em energias renováveis em Alagoas devem passar por três pontos: o aproveitamento da região de Delmiro Gouveia, e sua proximidade com a Chesf, como polo produtor de energia limpa; transformar a estrutura do estado para receber investimentos do setor; e promover mudanças na Casal.



 

"Já houve um passo inicial que foi colocar a Casal do Mercado Livre de Energia, mas nós temos que dar um terceiro passo: transformar a empresa numa empresa de energia. Se conseguirmos fazer isso até o final de 2026, eu acho que a gente cumpre os objetivos”, disse.


CANA-DE-AÇÚCAR

Apesar de dizer que Alagoas não pode abrir mão de avaliar todas as fontes de energia renovável, Guilherme defende que a biomassa e o etanol oriundos da cana-de-açúcar podem ser a grande alternativa para produção de energia limpa no estado.



 

“Pra começar, a gente não deve ver só o hidrogênio verde, que está tomando a pauta das energias verdes no mundo. Alagoas era vanguarda de energia renovável quando ninguém nem falava em etanol. Então, acho que a gente tem um potencial muito grande. Existe muito dinheiro no mundo para essa área; a questão é a gente conseguir identificar os nossos diferenciais competitivos para ir atrás desses investimentos privados”, afirmou.


Após a conclusão do relatório, previsto para a segunda quinzena de abril, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação (Secti), vai promover um “show room” com empresas nacionais e estrangeiras com potencial de investimento nas áreas definidas.



 

“A gente precisa fazer esse mapeamento, identificar as regiões, os potenciais, porque a gente infelizmente ainda não tem um parque eólico, um parque solar, que são fontes de energia mais natural e renovável que existem. A gente também está fazendo estudo para viabilizar o hidrogênio verde, ver se é o momento. Um estudo responsável, para não deixar de lado o que a gente já tem”, disse a secretária Alice Beltrão.


Durante a reunião, a secretária Alice Beltrão informou que a Casa dos Ventos, maior desenvolvedora de projetos de geração de energia através de fontes renováveis do país, está com negociações adiantadas para a instalação de um parque eólico em Mata Grande. Já Delmiro Gouveia deve ganhar em breve outro complexo eólico por meio da EDP, empresa que já atua no Rio Grande do Norte.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://vitalnews.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp